Redes sociais perdem espaço como fonte de notícia,diz relatório global

Nos últimos anos, as redes sociais se tornaram uma fonte importante de acesso a notícias. Contudo, esta tendência começa a mudar. A conclusão é do Relatório sobre Notícias Digitais do Instituto Reuters, um dos mais conceituados do mundo. O estudo, divulgado nesta semana, entrevistou milhares de pessoas em 37 países para entender os hábitos de consumo de jornalismo.

Segundo a pesquisa, o índice de pessoas que se informam pelas redes sociais caiu em diversos mercados importantes, como Estados Unidos (6%), Reino Unido e França. “Quase a totalidade disso se deve à diminuição da busca, publicação e compartilhamento de notícias do Facebook”, analisam os autores. Apesar disso, a rede social ainda é a mais utilizada para ler notícias (36%), seguida de Whatsapp (15%), Twitter (11%), FB Messenger (8%) e Instagram (6%).

Na comparação entre países, o Brasil ainda é o local pesquisado em que o Facebook tem maior popularidade como fonte de notícias (66%), seguido por Estados Unidos (45%), Reino Unido (39%) e França (36%).

>> Leia na fonte

Facebook tem sido menos usado para notícias, enquanto WhatsApp cresce

Whatsapp NoticiasO uso do Facebook, maior rede social do mundo, para notícias caiu 9 pontos percentuais em relação a 2017 nos Estados Unidos e 20 pontos para audiências mais jovens, mostrou uma pesquisa do Instituto Reuters com 74 mil pessoas em 37 mercados.

Uma bicentenária no quadradinho

planaltina 01Seminário comemora os 208 anos do Arraial de São Sebastião de Mestre d'Armas

Na última sexta-feira (18), a Igrejinha de São Sebastião sediou pela nona vez o Seminário do Patrimônio Cultural de Planaltina. A comemoração dos 208 anos do Arraial de São Sebastião de Mestre d’Armas, atual Planaltina, contou com debates e apresentações.

Revista Alaic recebe submissões até 03 de setembro

Estudos de recepção e consumo midiático é dossiIe da edição 29 da revista da Alaic. As submissões podem ser realizadas até o dia 03/09.
 
Dentre as temáticas sugeridas para o dossiê estão:
 
  • Processos de circulação e consumo dos bens midiáticos
  • O contexto de consumo da mídia
  • O empoderamento dos receptores
  • As novas tecnologias da comunicação e as novas reflexões dos estudos das práticas de recepção midiática
  • As pesquisas do tipo etnográficas
  • Produção, distribuição e circulação de conteúdos produzidos pelo público sobre conteúdos midiáticos 
Outras informações estão disponíveis no site da revista.